fbpx

6 COISAS QUE VOCÊ DEVE ANALISAR EM SUA EMPRESA ANTES QUE O ANO ACABE

No decorrer deste ano, nós aqui da Ético nos empenhamos em abordar assuntos indispensáveis para a gestão empresarial.

Contextualizamos vários assuntos: Desde a reforma trabalhista até os meios para diminuir as despesas de uma empresa.

Nada passou batido. Se você não acompanhou estas sequências de textos, comentarei compassadamente os assuntos mais importantes para esta análise que desejo propor a você. Combinado?

Pois bem, o meu intuito com esse texto é fazer você olhar os dados reais, os números, a mensuração de desempenho da sua empresa a fim de projetar novos números, metas e taxas de crescimento para sua empresa.

Todo bom começo se dá a partir do planejamento e para realizar um bom planejamento você deve analisar como as coisas estão indo. Mas para isto você não está sozinho. Farei uma síntese de todos os textos escritos no decorrer do ano. Exatamente, todos os textos! Para que você possa se posicionar e caprichar no próximo ano.

Acredite, você não vai encontrar isto em lugar nenhum. Esta é uma análise exclusiva que a Ético quer te oferecer, afinal, daqui alguns meses, nós te ofereceremos novos projetos, novos desafios, novas soluções, e isso porque sua empresa terá outras metas a serem atingidas. Estou certa?

Vamos lá:

1. AS METAS DE VENDAS:

O fato é que, estabelecer metas faz parte de uma estratégia saudável que uma empresa cria para crescer de forma ordenada e sequencial.

Pegue os documentos, relatórios, anotações, enfim, qualquer informação que você tenha sobre as metas definidas no início de 2017:

    • veja o que foi proposto por você e sua equipe;
    • o que foi alcançado;
    • o que não foi alcançado;
    • identifique as possíveis falhas
    • anote as boas estratégias e acertos

Recomendo que esta análise seja feita em equipe, afinal, sua empresa não é simplesmente uma construção material, mas todo um conjunto de pessoas que a compõe.

Através destas informações você poderá fazer projeções baseado em erros e acertos dos meses que se passaram.

Se você, deixou a desejar nas metas, isto é, não as definindo, não as reavaliando ou as abandonando ao decorrer do ano, será mais difícil fazer esta análise, mas busque qualquer documento que lhe de informações referente ao desempenho da empresa.

Isto lhe ajudará na hora de se preparar para as próximas metas do ano, se achar necessários, comece aos poucos. Projete meta trimestrais e (ou) semestrais, a fim de que o controle e análise seja facilmente manipulado.

A partir disso, você poderá analisar o que está dando certo e o que não está e poderá melhorar o que já tem e readaptar o que não está tendo sucesso.

O importante é não deixar de fazer, é muito arriscado caminhar sem um planejamento mínimo, portanto, antes de fazer uma mega promoção de fim de ano, busque avaliar e definir metas de vendas para sua empresa.

2. CICLO FINANCEIRO

empresa

Este tópico, embora seja mais teórico, é de extrema importância. Ele, juntamente com o capital de giro, que vamos falar logo em seguida, é o grande responsável pela saúde financeira da empresa.

Analise seu ciclo financeiro, econômico e operacionalComo já recomendamos, o ideal é que estes sejam os mais breves possíveis. Ciclos longos demais prejudicam o fluxo de caixa, pagamento das dívidas e, pior ainda, impede que a empresa obtenha lucros, mesmo que esta esteja com alto índice de vendas.

Parece brincadeira, mas não é. Se você percebeu que ao decorrer deste ano, embora as vendas tenham sido boas, sua empresa não obteve o lucro esperado, pode ser que seus ciclos financeiros estejam mais longos que o ideal. Para isto:

  • verifique o prazo de pagamento dos fornecedores;
  • prazo de pagamento dos seus clientes;
  • giro de estoque

 

Você saberá quantas vezes este giro ocorreu durante o ano fazendo o seguinte cálculo:

Ciclo Financeiro = Ciclo Operacional – Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores 

Se você não sabe como calcular o ciclo operacional e definir o prazo médio de pagamentos a fornecedores, não tem porque se preocupar, em nosso site temos um artigo bem completo que explica bem como definir estes cálculos.

Bom, para o próximo ano, a fim de que seus ciclos sejam menores, faça:

    • uma boa negociação de prazos com os fornecedores
    • maior rotação de estoque.

Estes dois passos poderão te ajudar a manter a saúde financeira de sua empresa equilibrada e preparada para lucrar. Por isso, faça essa análise do ciclo econômico durante este ano e crie suas próprias estratégias para reduzi-lo.

3. CAPITAL DE GIRO

O capital de giro é um assunto mais delicado, realmente não é tão simples, mas é extremamente importante. Você sabia que, segundo o SEBRAE:

“27% das novas empresas fecham as portas no primeiro ano, chegando a 50% as que encerram as atividades nos 4 primeiros anos. Entre as 6 principais causas de falência, 3 estão relacionadas a ações do empresário que levam à deterioração da saúde financeira do negócio. E um dos principais equívocos diz respeito à falta de atenção ao capital de giro. ”

Pois bem, a análise que proponho agora, é justamente relacionado a isso:

Primeiramente, se você não tem essas informações já prontas (já que o ideal é que se conheça o capital de giro), recorra aos relatórios, finanças, boletos, enfim, tudo que te possibilite contabilizar:

    • tudo que a empresa tem em caixa e em conta bancária;
    • tudo que você tem e tudo que ainda vai entrar em seu caixa;
    • estoque.

Sabendo estas coisas você terá acesso ao seu ativo circulante.

Em seguida, contabilize suas dívidas: Contas, aluguel, empréstimos, impostos. Assim você saberá seu passivo circulante.

Pronto, agora basta calcular seu capital de giro:

CGL = AC – PC

Talvez você se pergunte: o que este valor representa para mim? Porque ele é importante?

Pois bem, o capital de giro é o dinheiro que você tem disponível para atuar em sua empresa e através dele você poderá lidar com imprevistos, fazer investimentos e planejar novas estruturas e propostas para sua empresa.

Parece importante, não é mesmo? Por isso, antes de encerrar o ano, certifique-se de como está seu capital de giro para que você possa se estruturar a fim de aumentar este capital, minha dica é:

    • contabilize este valor;
    • tenha uma reserva financeira;
    • diminua o ciclo financeiro;
    • acabe com a inadimplência.

O resto acontece naturalmente.

4. INVESTIMENTO TECNOLÓGICO

Quanto você investiu em tecnologia neste ano? Quanto trabalho manual ainda é feito dentro e sua empresa? Quanto tempo você perde, diariamente, preenchendo tabelas ou armazenando informações indispensáveis para sua empresa? Quantas horas extras você pagou neste ano?

Coloque estes valores na ponta do lápis: Mensure os prejuízos que você teve com manutenção de softwares ineficientes; tempo desperdiçado com atividades manuais; perca de informações; horas extras. Enfim, veja os números e deixe que eles falem por si só.

O grande problema dos empresários é não conseguir visualizar os prejuízos, a longo prazo, que têm devido à falta de tecnologia ou a tecnologias incompatíveis com sua realidade empresarial.

Permita-me falar um pouco da minha experiência aqui na empresa:

Sempre vejo os meninos da implantação e até mesmo o Thiago, nosso fundador, relatando com grande pesar a falta de visão dos empresários no Brasil. Nós, que trabalhamos com tecnologia de qualidade, sabemos a grande influência que ela tem no sucesso de uma empresa.

Acontece que os empresários, muitas vezes não tem e quando tem, se deixam levar por qualquer sistema mais em conta. Não é raro termos que enfrentar o receio dos empresários em investir e ou trocar seus softwares atuais.

É claro que nós compreendemos estes receios e é justamente por compreender que proponho esta análise baseada em números. Quando você colocar tudo na ponta do lápis, compreenderá melhor do que eu estou falando: trata-se de milhões que, anualmente, são jogados no lixo atoa.

Quer uma informação bacana? Ficou comprovado pela Nucleus Research de Boston (Massachusetts) que, a cada R$ 1,00 investido em sistemas de gestão empresarial, obtém-se um retorno de até 700%. Isto porque, reduzindo a possibilidade de erros, a empresa estará potencializando as boas técnicas aplicadas através de melhorias na coordenação, automatização e monitorização.

Acredito que 700% não é pouca coisa, certo?

O fato está em ter uma visão a longo prazo: pesar custo e benefício e ver que, embora as implantações de softwares de gestão sejam de alto custo, demorada e inicialmente difícil, os retornos financeiros e produtivos dentro de uma empresa são imensos.

Que não seja eu falando. Faça essa análise, converse com sua equipe e tire suas próprias conclusões.

5. O RELACIONAMENTO CLIENTE X EMPRESA

empresa

Como foi o relacionamento com seus clientes neste ano? Quantos clientes novos sua empresa adquiriu? Quantos clientes você perdeu? Quantos clientes se tornaram fiéis ao seu negócio?

Sim! Nós também falamos sobre isso aqui no site. Tratamos de forma detalhada a respeito das estratégias de vendas, que inclui a forma de abordar o cliente, fidelização de clientes e os benefícios que isto trás para empresa e claro, os processos de pós-venda.

Discorri várias linhas para mostrar para você que, investir no seu cliente faz toda diferença e contribui, diretamente, para o sucesso da sua empresa, embora isso seja extremamente óbvio, não custa nada lembrar, não é mesmo?

Falo isso porque muitos empresários caem no comodismo ou no erro de simplesmente ganhar novos clientes, mas isso não é tudo. A forma como os “fieis a sua empresa” interage com você, faz toda diferença.

6. HORA DE COLOCAR EM PRÁTICA O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Bom, esta é a prova final. É o momento em que você junta tudo que eu disse, todas as informações e faz as projeções para o futuro, afinal, só medir, mensurar, avaliar, não resolve seus problemas.

Mais que isso, você precisa agir. Fazer alguma coisa com essas informações que estão em suas mãos. Agora é a hora de você sentar com sua equipe e começar a estruturar metas para o próximo ano.

Baseado nas informações que você extraiu, veja:

    • Onde estão os erros;
    • O que pode ser feito neste próximo ano para evita-los;
    • Quais as causas destes erros;
    • Quais foram os acertos;
    • O que fazer para potencializar estes acertos.

Tendo isto bem definido, juntamente com a sua equipe, lembre-se de nunca definir estas coisas sozinho, crie seus objetivos:

    • O que eu quero alcançar no primeiro semestre de 2018?
    • Quantos % desejo aumentar minhas vendas?
    • Quais investimentos preciso fazer?

Em seguida, crie estratégias para alcançar estes objetivos:

    • Como conseguirei alcançar estes objetivos?
    • Quais instrumentos precisarei para tal?
    • O que preciso oferecer e melhorar em meus serviços prestados para aumentar minhas vendas?
    • Tenho tido estratégias que alcancem meus clientes?
    • Preciso automatizar os processos de minha empresa a fim de reduzir custos?
    • Minha empresa precisa de um estoque maior?
    • Tenho feito um controle de estoque que evite desperdícios?

OBS: Ao questionar “o que devo fazer”, busque encontrar meios de “como fazer”. Quanto mais visual for as suas estratégias, mais facilmente você atingirá seus objetivos.

Enfim, essas são algumas das sugestões que oferecemos para você. É indispensável que estas análises sejam feitas antes que o ano acabe. Questione, analise, investigue sua empresa, seja realista e não tenha medo de agir.

Faça de 2018 o ano do seu sucesso e acredite, isto depende exclusivamente de você.

Share

Somos uma empresa de desenvolvimento de software que teve o seu ponto de partida em 2013, abraçando o desafio de desenvolver um sistema flexível e adaptável. Hoje, com escritórios em Maceió e Ji-Paraná, nosso lema é a inovação e o que nos motiva é criar ferramentas gerenciais que impulsionem o negócio dos nossos clientes.

WhatsApp chat