fbpx

CAPITAL DE GIRO: UM ASSUNTO PARA EMPRESÁRIOS RESPONSÁVEIS

Você sabe o que é o capital de giro? é um assunto extremamente importante que fará toda a diferença na gestão de sua empresa.

Suponho que você já tenha lido nosso artigo sobre ciclo financeiro. Ele é essencial para que você não entre no vermelho.

Caso ainda não o tenha lido, sugiro que o leia o quanto antes. Afinal, você é um gestor inteligente, não vai querer saber as coisas pela metade, não é mesmo?

Antes de tudo, eu quero apresentar-lhe alguns dados muito importantes levantados pelo SEBRAE.

O SEBRAE estimou, em 2015, que 52 milhões de brasileiros com idade entre 18 e 64 anos estavam envolvidos na criação ou manutenção de algum negócio, na condição de empreendedor em estágio inicial ou estabelecido.

Cá entre nós, esse valor é bem alto e a tendência é que tenha aumentado. O que é ótimo. Agora, pense bem nisso: pense em quantas pessoas sonham com seu negócio e quantas estão até indo bem, com uma empresa já funcionando.

Tendo isso em mente, veja outra estatística, devastadora, que deve, sem dúvidas, preocupar você porque, assim como você, que faz parte dos 52 milhões, pode ser que esteja dentro desta outra estatística também levantada pelo SEBRAE:

27% das novas empresas fecham as portas no primeiro ano, chegando a 50% as que encerram as atividades nos 4 primeiros anos. Entre as 6 principais causas de falência, 3 estão relacionadas a ações do empresário que levam à deterioração da saúde financeira do negócio. E um dos principais equívocos diz respeito à falta de atenção ao capital de giro.

Aposto que, assim como eu, você ficou espantado com essa informação. Aposto ainda mais que estes dados deixaram-no incomodado. Mas, como eu disse, você não é o único,e essa, de fato, foi a minha intenção: deixá-lo incomodado.

E sabe porquê? Por que não quero que você caia no mesmo erro administrativo que tantos outros empresários caíram.

Talvez você esteja se perguntando: “Como as pessoas deixam suas empresas chegarem a uma situação tão crítica que as leve à falência?”

É, parece mesmo não ter explicação. Mas, agora, eu lhe pergunto:

Você está realmente seguro de que sua empresa não corre esse risco? 

… É melhor não responder ainda e ler o artigo antes. Né?

CAPITAL DE GIRO: POR QUE OS EMPRESÁRIOS O IGNORAM?

Provavelmente você já esteja entendendo que o capital de giro, assim como o planejamento e o ciclo financeiro importam. E, vamos combinar, importam muito. Mas, então, por qual motivo as empresas o negligenciam? 

O motivo é simples: falta de conhecimento.

Muitos empresários sabem o que é capital de giro, o que não é a regra (muitos não sabem) e o consideram como um assunto secundário. Então, como nós já falamos, as coisas desandam.

É a partir dessas brechas que:

    • as dívidas começam a surgir;
    • os pagamentos de finanças são insuficientes:
    • faltam os recursos:
    • crescem os empréstimos e, por fim;
    • vem a falência.

Para que isso não aconteça com você, falaremos nesse artigo o que é, para que serve e como calcular o capital de giro.

Tudo pronto?

O QUE É CAPITAL DE GIRO?

É agora que o sapato aperta o calo e que o dedo cutuca a ferida. Já falei anteriormente, mas vale a pena ressaltar: muitos empreendedores não sabem o que é capital de giro, para que serve, como se calcula e os efeitos que ele traz para a empresa.

Para que você não corra o risco de estar entre esses empreendedores descuidados, nós nos encarregaremos de auxiliá-lo com esse assunto tão delicado. Afinal, o que é capital de giro?

O capital de giro são os recursos que uma empresa dispõe para se manter funcionando. Isso vai desde a compra de matérias primas até o recebimento das vendas realizadas.

Como exemplo de capital de giro em uma empresa, temos: caixa, títulos de curto prazo, contas a receber e estoques, que são nada mais que os investimentos que ela possui em ativos (dinheiro disponível) de curto prazo.

Não caia no conto do vigário achando que capital de giro é coisa só para grandes empresas. Uma má administração e um mau gerenciamento financeiro geram impactos negativos sobre empresas de pequeno, médio e grande porte.

Ou seja, a “carapuça” serve para todo mundo. Dessa vez, nem adianta querer tirar o cavalinho da chuva.

Visto isso, é importante que você saiba e tenha sempre em mente os diversos fatores que podem afetar a administração do capital de giro de sua empresa. Entre eles temos:

    • o volume de vendas da empresa;
    • os prazos concedidos;
    • estoque para efetivação das vendas;
    • gerenciamento de caixa;
    • a sazonalidade dos negócios;
    • sua política de negócios;
    • fatores econômicos externos à empresa.

Deste modo, é imprescindível que um bom gestor esteja sempre acompanhando o “ritmo” do capital de giro a fim de que identifique possíveis medidas a serem tomadas a curto e a longo prazo, de maneira que a empresa não seja afetada.

Afinal, não basta só vender. É importante que se tenha um equilíbrio entre ativo circulante e passivo circulante. Fique atento!

O CAPITAL DE GIRO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA EMPRESA.

Se o capital de giro é algo realmente tão importante, alguma vantagem ele deve trazer para uma empresa, não é mesmo? E vamos ser sinceros: o nosso desejo é que sejam muitas vantagens.

A boa notícia é que, sim, ele traz muitas vantagens. Até por que ele representa o valor de recursos que uma empresa de fato possui para financiar o seu ciclo de operações.

Além disso, o capital de giro permite o equilíbrio e a lucratividade para o negócio, de modo que se tenha a possibilidade de manter o ritmo que a empresa já tem e continuar crescendo.

ATENÇÃO: Se a sua empresa é referência no mercado, parabéns! Você tem feito o dever de casa muito bem. Mas não pense que, por isso, você possa descuidar-se do capital de giro. Lembre-se sempre dessa frase e, se possível, leia-a todos os dias:

“Grande quantidade de venda não é sinônimo de empresa bem-sucedida. ”

Isso por que, se suas vendas são altas, o que não é algo necessariamente ruim, você precisará de uma quantidade considerável de estoque.

E quanto maior a necessidade de investimento nos estoques, mais recursos financeiros a empresa deverá ter e, consequentemente, maior o capital de giro.

Um gestor precisa ter boas estratégias, controle impecável do fluxo de caixa, estoque,controle financeiro e ciclo financeiro. Todos estes aspectos que mencionamos influenciam diretamente no capital de giro e, consequentemente, no destino de sua empresa.

Você precisa, necessariamente, entender como tudo isso atua dentro da sua empresa e qual influência elas exercem sobre suas decisões.

Por exemplo:

Se na sua empresa é tomada a decisão de aumentar o estoque e esta decisão for exagerada, você precisará ter uma quantidade ainda maior de recursos financeiros. Neste caso, errar é fatal.

Caso você decida dar prazos maiores na venda a prazo para seus clientes, também precisará de mais recursos financeiros. Neste caso, errar também é fatal.

Caso esses recursos financeiros mencionados não existam, sua empresa precisará optar por empréstimos de bancos, fornecedores ou qualquer outra fonte, o que, automaticamente, gerará pagamentos de juros que diminuirão a margem de lucro da empresa.

O que eu quero que você entenda – e você de fato precisa entender – é que não dá para administrar uma empresa, seja ela pequena ou não, sem controlar o capital de giro, já que isso afetará nas decisões a serem tomadasnos recursos disponíveis, nas compras, nas vendas, no caixa e, principalmente, no lucro.

Realmente não tem para onde fugir. Diante disso, você precisa aprender a calcular o capital de giro de sua empresa. Venha comigo!

COMO CALCULAR O CAPITAL DE GIRO?

very simple

Primeiramente, faça uma contabilização de tudo o que sua empresa tem em caixa e em contas bancárias e saiba quanto você ainda tem por receber de vendas realizadas.

Ou seja: saiba tudo o que você tem e tudo o que vai entrar de dinheiro em seu negócio.

Depois disso, contabilize o seu estoque e saiba qual o valor a que ele corresponde. Juntando essas três “peças”, você saberá qual é o seu ativo circulante (AC).

Em seguida, contabilize todas as dívidas que sua empresa tem para pagar: contas, empréstimos, aluguel, imposto, fornecedores, etc. Este valor corresponde ao seu passivo circulante (PC).

O capital de giro líquido (CGL) é o montante financeiro que tem sustentado a sua empresa a curto prazo, ou seja, a diferença do que você tem (ativo circulante) com o que você deve (passivo circulante).

Deste modo temos que:

CGL = AC – PC

A análise desse resultado é indispensável. Quanto maior for o capital de giro líquido, maior será o dinheiro “livre” que uma empresa possui. Deste modo, o gestor estará seguro para possíveis investimentos e aumento de seu lucro.

Entretanto, quando o capital de giro líquido tem valor negativo, significa que a empresa está passando por “crises” financeiras, já que suas dívidas estão maiores que o capital disponível para quitá-las.

Aposto que você está surpreso com a facilidade destes cálculos. Mas, por favor, novamente eu reforço: é importantíssimo que esta análise seja feita, do contrário você nunca terá base suficiente para tomar qualquer decisão.

Não menospreze a simplicidade do cálculo.

SOLUÇÕES PARA OS PROBLEMAS DE CAPITAL DE GIRO

É claro que a Ético não o deixaria só com a teoria. Nossa empresa busca oferecer o melhor para nossos clientes e não é à toa que buscamos apresentar sempre as melhores soluções.

Agora que você já sabe como calcular o capital de giro, quero te apresentar algumas propostas que te ajudarão a solucionar problemas com o capital de giro e, acima de tudo a evitá-los, afinal, ação preventiva é tudo, não é mesmo?

Então, chega de papo e vamos ao que interessa, quero te apresentar 3 medidas que você poderá aplicar à sua gestão e que fará toda diferença. São elas:

1. Reserva financeira.

Não preciso me estender nessa etapa. Você certamente sabe o que é uma reserva financeira e não posso dar palpite em algo tão pessoal. Você conhece a sua realidade e sabe o que pode ganhar reajustes.

Reavalie o que tem sido desperdiçado, busque negociações mais amigáveis, economize e crie um fundo de reserva. Pode ser difícil no início, mas fará toda a diferença para a vida de sua empresa  e para seu capital de giro.

Coragem!

2. Diminua o ciclo econômico.

Caso você ainda não saiba o que é ciclo econômico, já passou da hora de saber. Fizemos um artigo bem detalhado e cheio de exemplos para que você entenda de vez em que consiste este termo.

Mas, caso você já saiba, vale a pena ressaltar que o ciclo econômico quanto mais curto, mais adequado. Isso porque você estará agilizando todo o processo de produção e venda de sua empresa e, consequentemente, aumentando o lucro.

Esta ação não é meramente financeira, mas isso você descobrirá em nosso artigo sobre o assunto em que dou dicas eficazes de como reduzir o ciclo econômico de sua empresa.

3. Acabe com a inadimplência.

Inadimplência é um termo difícil para “a falta de cumprimento de uma obrigação.”

Embora uma empresa não tenha pleno controle sobre essa situação, que pode se agravar por fatores como baixa renda dos clientes, crise e instabilidade financeira, algumas medidas podem ser tomadas.

O ideal é que reduza as vendas parceladas e aumente o número de pagamentos à vista. Isto é uma medida um tanto quanto difícil e poderá, aparentemente, deixá-lo para trás na concorrência.

Mas não se iluda. É melhor um pássaro na mão, do que dois voando. Ou seja, é melhor vender menos e receber dentro de um prazo que não prejudique sua empresa.

Estas dicas são básicas e podem auxiliá-lo, mas, muito mais que segui-las à risca, é importante que você tenha boas estratégias e instrumentos de gestão.

poder

Se você está cansado de ter que bancar o super-herói todos os dias para tirar a sua empresa do aperto, está na hora de começar a se precaver.

Entretanto, isso não quer dizer que você nunca precisará usar os superpoderes que todo gestor eficiente tem (nós sabemos que tem). Afinal, administrar uma empresa não é para qualquer um, mas um bom super-herói anda sempre armado.

Sabe como? Tendo uma excelente gestão de estoque, gestão financeira , ciclo financeiro e controle sobre o fluxo de caixa.

Realmente não é moleza. Por isso, você deve contar com o auxílio de um sistema de gestão empresarial.

É claro que o sistema não fará os cálculos de capital de giro e ciclo financeiro para você. No entanto, ele irá fornecer-lhe relatórios com todas as informações necessárias para que estes controles sejam facilmente realizados.

Além disso, você poderá tomar decisões a curto e a longo prazo, de forma segura e rápida, pois o sistema concede informações precisas e em tempo real.

Ético, sistema de gestão empresarial, vem ganhando referência no mercado pela sua flexibilidade e adaptação à empresa do cliente. Oferecemos o sistema tanto local quanto em nuvem e acompanhamos a empresa desde o processo de instalação até a adaptação.

Nós sabemos que gerir uma empresa não é para qualquer um e, por isso, oferecemos o jeito mais fácil para executar estas funções: através do software de gestão Ético.

Se você deseja conhecer mais sobre o nosso sistema, entre em contato conosco para que possamos oferecer-lhe um “plano” ideal para sua empresa.

Share

Somos uma empresa de desenvolvimento de software que teve o seu ponto de partida em 2013, abraçando o desafio de desenvolver um sistema flexível e adaptável. Hoje, com escritórios em Maceió e Ji-Paraná, nosso lema é a inovação e o que nos motiva é criar ferramentas gerenciais que impulsionem o negócio dos nossos clientes.

WhatsApp chat